Notícias

Prefeitura de Ubaitaba ornamenta cidade com tema de Junino e homenageia Isaquias Queiroz no Arraiá Olímpico.

IMG_3373.jpg

Mesmo sem poder haver a realização da festa de São João propriamente dita, a Prefeitura de Ubaitaba enfeitou a cidade com a decoração Junina e  homenageou atleta.

Na noite desta quarta-feira, 09 de Junho, a Prefeitura realizou uma carreata simbólica para inaugurar o Arraiá Olímpico que aliou a ornamentação Junina a homenagem ao maior atleta olímpico do brasileiro, Isaquias Queiroz que é filho de Ubaitaba e irá disputar as Olimpíadas no próximo mês de Julho.

Como não pode haver aglomerações de pessoas, devido a pandemia, surgiu a ideia de fazer a carreata, onde participaram apenas algumas pessoas do governo municipal.  O evento contou com  cerca de 20 carros e umas 40 pessoas participaram do ato. Após o término da carreata que saiu da rodoviária até a praça  27 de Julho, algumas pessoas pararam na praça para tirar fotos da ornamentação que ficou linda de se ver! O ato durou cerca de 25 minutos.  

A ideia de ornamentar o centro da cidade foi para manter o clima e a alegria junina na cidade foi sugerida pelos próprios comerciantes e CDL. A execução ficou por conta da Coordenação de Cultura e Diretoria de esportes, com apoio da Secretaria de Infraestrutura. A artista foi a Roseli.
 
Apesar da ornamentação a prefeitura informou não haverá festa junina na cidade devido a pandemia da COVID-19.

Lembrando que não houve festa e nem comemoração. Foi apenas um um ato simbólico, para manter acesa a alegria e a esperança em nossa comunidade de tempos melhores nesse momento tão difícil, confirmou o prefeito Bêda. (Ascom/Ubaitaba)

IMG_3344.jpg

IMG_3326.jpg

IMG_3304.jpg

IMG_3299.jpg

IMG_3293.jpg

IMG_3290.jpg

IMG_3284.jpg

IMG_3276.jpg

IMG_3250.jpg

IMG_3247.jpg

IMG_3237.jpg

 

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, enviou para a Câmara de Vereadores o projeto de lei 011/2021 que institui no município o Projeto Junho Verde de proteção e educação ambiental. O objetivo é promover um mês inteiro de atividades voltadas para a preservação do meio ambiente, incluindo programas importantes como o de coleta seletiva, recuperação de nascentes, inauguração de viveiros, criação do programa de educação ambiental e o Lixão Nunca Mais, que garante uma nova destinação dos resíduos sólidos.

foto1.jpeg

A proposta é inserir o Junho Verde no calendário oficial do município, realizando anualmente um conjunto de ações em parceria com escolas, universidades, instituições públicas, privadas, do terceiro setor, igrejas e toda a comunidade com vistas a preservação do patrimônio natural de Itacaré. O projeto foi protocolado na manhã desta terça-feira na Câmara de Vereadores pelos secretários municipais Marcos Luedy (Meio Ambiente) e Ed Camargo (Comunicação), que destacaram a importância dessa iniciativa, que começa no mês de junho, mas que contempla ações de educação e preservação ambiental durante todo o ano.

De acordo com o prefeito Antônio de Anízio, o Projeto Junho Verde tem como objetivo desenvolver o entendimento da população acerca da importância da conservação dos ecossistemas naturais e de todos os seres vivos e do controle da poluição e da degradação dos recursos naturais, para as presentes e futuras gerações, bem como a conscientização e desenvolvimento de ações sustentáveis em prol do Meio Ambiente.

Dentre as principais ações do Junho Verde está a divulgação de informações acerca do estado de conservação do meio ambiente e das maneiras de participação ativa da sociedade para a sua salvaguarda, o fomento à conservação e ao uso de espaços públicos urbanos por meio de atividades culturais e de educação ambiental, bem como o estímulo ao conhecimento e à preservação da biodiversidade e ao plantio e uso de espécies nativas em áreas urbanas e rurais.

Também é objetivo do Junho Verde a sensibilização acerca da redução do consumo e do reuso de materiais e capacitação quanto à segregação de resíduos sólidos e à reciclagem, divulgação da legislação ambiental e dos princípios ecológicos que a regem, além de estimular o debate sobre transição ecológica das cadeias produtivas. Outra meta importante é o estímulo ao conhecimento e à inovação ambiental por meio de projetos Educacionais e ainda o estímulo ao conhecimento e a preservação da cultura dos povos tradicionais dos biomas, inseridos no contexto da proteção da biodiversidade brasileira.

O Junho Verde já começou e tem na programação uma série de atividades, a exemplo da inauguração do Viveiro de Mudas Frutíferas, Ornamentais e Essências Florestais no distrito de Água Fria, lançamento do Programa de Educação Ambiental na Rádio Paraíso Baiano, implantação do Programa de Coleta Seletiva nos Prédios Públicos de Itacaré, entrega das vassouras ecológicas e equipamentos de coleta e a apresentação dos projetos de reciclagem do Recicla.

Também será realizada durante o mês de junho a ação de Requalificação Ambiental do entorno da Cachoeira da Usina, em Taboquinhas, uma Passarinhada Urbana, lançamento da PPP envolvendo a Prefeitura de Itacaré e empresários da Praça dos Cachorros e também o lançamento do Programa de Recuperação de Nascentes do município de Itacaré, dentre várias outras atividades educativas e ambientais com a participação de toda a comunidade.

 

foto22.jpeg

foto4.jpeg

foto3.jpeg

 

 

 

Medo de um maior retrocesso social e econômico aflige gestores
 
Aconteceu na manhã desta terça-feira (8), na sede da União dos Municípios da Bahia (UPB),  uma reunião virtual com o desembargador do Tribunal de Justiça da Bahia, Jatahy Júnior.  O concílio teve como objetivo sensibilizar e pleitear a ajuda do desembargador no processo de suspensão do fechamento dos cartórios nos municípios no interior do estado.
 
TJ-BAHIA.jpg
 
Ana Medrado, prefeita de Mucugê, um dos municípios na lista do Tribunal para uma possível desativação, abriu a reunião explicitando o impacto social e econômico que a medida teria no município e região.  “Hoje Mucugê é a maior produtora de batata do Norte e Nordeste e a terceira maior do país. A expansão da indústria agrícola e imobiliária sofrerá um retrocesso. Somos um polo turístico consolidado e em crescimento, e temos um município com uma das maiores extensões territoriais da região. A população, os produtores rurais e os investidores estão preocupados com essa situação” desabafou a prefeita.
 
O coordenador jurídico da UPB, Isaac Newton, mediou a reunião representando o presidente Zé Cocá. “Fomos surpreendidos aqui na UPB com essa proposta de mudança que atinge 58 municípios. Há de se considerar as circunstâncias e particularidades de cada um e como eles sofrem. Pensar em saídas como o modelo de cartórios de ofícios únicos com todas as especialidades é uma possibilidade sensível à mantença dessas cidades. A UPB acompanha esses casos diretamente e entende que é uma pauta dos municípios e da sociedade”, considerou.
 
“É sabido que o sistema de transporte é caótico, principalmente no interior do estado. E quando você desaproxima os serviços da sociedade é exatamente o que o Estado não deveria fazer. Nesse momento de pandemia, o poder público precisa garantir a ordem social e de todo sistema para a população. Contamos com essa reflexão e sensibilidade do Tribunal”, enfatizou o advogado municipalista , Ademir Ismerin, presente na reunião.  
 
O desembargador Tribunal de Justiça da Bahia, Jatahy Júnior, após ouvir atentamente a todos explicou que o atual serviço não se sustenta. “A Corregedoria fez um trabalho com base nos números e mandou para comissão da reforma dos cartórios. Vocês podem apresentar uma emenda do Cartório Único, já que alguns estados do Nordeste organizam dessa forma.  Eu adianto que não tem respaldo constitucional, porque as atribuições não deveriam cair sobre o mesmo delegatário, mas entendo a necessidade de todos os serviços para população e esse entendimento está passível de discussão”, explicou.  
 
Após a reunião o assessor especial da presidência, Jorge Castellucci, destacou “A UPB irá fazer uma força tarefa com os municípios listados para possível desativação e apresentar um memorial das razões e particularidades de cada um ao Tribunal na busca de sensibilizar e solucionar essa demanda”.
 
Também estiveram presentes na reunião o deputado estadual, Paulo Câmara, e o delegatário do cartório do Registro de Imóveis do município de Mucugê, Fernando Martins.

A comercialização de produtos de cooperativas e associações da agricultura familiar é um dos focos principais do Festival de Economia Solidária São João da Minha Terra, promovido pelo Governo da Bahia, através da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre). O evento acontece de 13 a 30 de junho, de forma virtual por conta da pandemia, e reúne 15 Territórios de identidade da Bahia, atendidos pelas 13 unidades de Centros Públicos de Economia Solidária (Cesols),

WhatsApp Image 2021-06-04 at 11.01.12.jpeg

A força da mulher baiana na economia solidária será um dos destaques do Festival. Um dos exemplos é a produção de balinhas de genipapo no município de Buerarema, no Sul da Bahia, pela Associação das Mulheres Empreendedoras de Buerarema (Ameb). Elas adoçam a vida e geram renda com a iguaria, que é muito apreciada, principalmente no período de festejos juninos.

Além das balinhas de jenipapo, as mulheres da Ameb produzem geleia de mel de cacau, farinha de Buerarema, balas de cupuaçu, mel de cacau, torrão de cacau no pilão, nibs de cacau e barrinhas de chocolate com semente do cupuaçu, entre outras delícias orgânicas

A presidenta da associação, Maria das Graças Silva Santos, mais conhecida como Gal Macuco, diz que a expectativa é grande para esse ano. Gal afirma que a Ameb, que foi fundada em 2018, ainda não possui uma sede, e todas as 12 mulheres associadas produzem as bolinhas em suas próprias casas. "Por isso contamos muito com as ações de estímulo à Economia Solidária, especialmente as feiras, porque abrem oportunidades, permitem que nossos produtos sejam conhecidos. Hoje nossos produtos são conhecidos em outras regiões".

Gal Macuco observa que a Economia Solidária "transformou nossas vidas, fortaleceu nossa microeconomia e elevou nossa autoestima". E completa: "O apoio de eventos como o festival é muito importante para fortalecer, cada vez mais, o homem e a mulher do campo".

AROMA DA CAATINGA

A Associação Comunitária Agropastoril de Curral Novo e Jacaré tem 35 anos de fundada e nunca havia passado por uma crise como a causada pela pandemia do novo coronavírus, em 2020. Foi um momento de grandes desafios, e a solução encontrada reacendeu a esperança dos 66 associados: as vendas através da internet.

Fundada em 1986, a Associação produz, com o selo Aroma da Caatinga, desde 2012, diversos produtos, entre eles o doce de umbu de corte, a geleia de umbu, doce de tamarindo, licor de umbu e de tamarindo, além da concorrida geleia de maracujá da caatinga. "As vendas online estão salvando nosso ano e queremos crescer 50% em relação ao ano passado", diz a tesoureira da associação, Marineide Arcanjo.

Outro objetivo é atingir novos mercados, e para isso apostam nos eventos da economia solidária. “São muito importantes, pois através deles conseguimos mostrar nossos produtos para outros mercados, o que aumenta as possibilidades de novos clientes", diz Marineide.

“A economia solidária é essencialmente feminina. Na Bahia, as mulheres representam 80% do segmento, muitas delas chefes de família, que têm na economia solidária a fonte de sustento. O festival é uma grande oportunidade de impulsionar as vendas e garantir uma melhor renda nesse período tão importante como o São João” destaca o secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Davidson Magalhães.

Além da comercialização de produtos, o Festival de Economia Solidária terá música, cultura, gastronomia e formações gratuitas em lives realizadas nas redes sociais. O evento é executado pela Associação Beneficente Josué de Castro e será exibido ao vivo nas redes sociais @economiasolidariaba.

 WhatsApp Image 2021-06-04 at 11.01.14.jpeg

WhatsApp Image 2021-06-04 at 11.01.11.jpeg

WhatsApp Image 2021-06-04 at 11.01.10.jpeg

 

 

 

 

O prefeito de Itajuípe e presidente da Amurc, Marcone Amaral, foi testado positivo para a Covid-19, após a realização de um exame na tarde deste sábado, 29. Isolado em casa, desde o aparecimento dos primeiros sintomas, há 3 dias atrás, o gestor segue em acompanhamento médico para o tratamento dos sintomas.

Marcone tem feito uma reivindicação junto à União dos Municípios da Bahia - UPB e à Confederação Nacional dos Municípios - CNM para que o Governo Federal possa priorizar a vacinação aos prefeitos, tendo em vista que o Chefe do Executivo está no comando da linha de frente das ações de saúde de todos os municípios.

Ainda segundo o presidente, é praticamente impossível não ter um contato muito grande com várias pessoas durante o dia. “É importante entender que, sem o prefeito a cidade não anda, e, é necessário haver a imunização dos prefeitos já que é apenas uma vacina para cada cidade. E, dessa forma, proteger a maior autoridade municipal”, destacou.

Outro pleito defendido por Marcone junto às entidades municipalistas, é que o Governo Federal atenda a necessidade urgente para a chegada de imunizantes nos municípios da Amurc. O prefeito reclamou da lentidão para a chegada das vacinas nos municípios devido a demanda para imunizar a população o mais rápido possível.

covieprefeito.jpg

O prefeito de Buerarema e vice-presidente da Amurc, Vinícius Ibrann, participou de uma entrevista ao vivo, nesta quinta-feira, 27, com o radialista Gil Gomes, no programa Balanço Geral, da rádio Santa Cruz AM de Ilhéus. Na pauta, foi abordado como as prefeituras da região estão enfrentando a Covid-19 e seus impactos na economia, nas finanças das prefeituras e no desenvolvimento das empresas.

O prefeito destacou que, juntamente com o presidente da entidade, Marcone Amaral, tem tido uma relação muito próxima com os municípios e tem visto a realidade da região. “A gente tem reunido os nossos fóruns, tanto de secretários como de prefeitos para compartilhamento de experiências e decisões a serem tomadas em nossas cidades”, destacou Ibrann.

Em um período marcado por restrições de circulação de pessoas e funcionamento do comércio, os municípios têm sofrido com a queda na arrecadação, que, consequentemente, influencia nas ações de políticas públicas. O impacto negativo, segundo Vinícius, tem refletido com o desemprego, o fechamento ou redução de funcionamento de alguns empreendimentos.

Sobre a não realização da tradicional festa de São João nas cidades da região, o vice-presidente destacou que a Amurc tem avaliado com muita preocupação, tendo em vista que é o calendário mais forte da região, pois tem o poder de movimentar a economia local. 

prefeito1.jpg

Ministro da Economia acolheu demanda e montará grupo de trabalho para criação de uma PEC
 

O presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Zé Cocá, foi recebido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, na noite desta quarta-feira (26), em Brasília, para apresentar uma proposta de redução da alíquota patronal do INSS paga pelos municípios brasileiros. Atualmente a contribuição previdenciária das prefeituras é uma das mais altas aplicadas a empregadores, representando 22,5%. O encontro foi articulado pelo senador Otto Alencar (PSD-BA), que preside a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, e tratou também do apoio à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 09/2021 que parcela em 240 meses a dívida dos municípios com a previdência. Paulo Guedes acolheu o pedido e montou uma equipe de trabalho, que já começa a atuar na próxima segunda-feira (31) para a apresentação de uma PEC com a redução da alíquota.

Segundo o presidente da UPB, a taxa imposta aos municípios não condiz com a função social exercida pelas prefeituras e é o principal motivo para inadimplência. “O que viemos propor é a diminuição para algo que se encaixe na realidade dos municípios e haja condição de ser pago. Como está hoje só alimenta uma dívida incalculável, que se arrasta por anos, e compromete o orçamento dos municípios da Bahia e, em especial, os do Norte e Nordeste, que possuem uma base de arrecadação baixíssima. Não é possível tratar municípios ricos e pobres da mesma forma, pagando a dívida e ainda uma alíquota absurda. Então, essa reunião foi para sensibilizar o governo federal e eu agradeço ao ministro Paulo Guedes por ter entendido a nossa situação e agido rápido montando esse grupo de trabalho”, explicou Zé Cocá.


A demanda levada ao ministro da Economia foi pautada em uma reunião realizada pela UPB, em abril, com os presidentes das associações municipalistas do Norte e Nordeste. A reivindicação dos prefeitos também foi entregue por Zé Cocá ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, no dia 28 de abril, em Brasília, e aos senadores baianos em reunião virtual este mês, quando Otto Alencar propôs intermediar o encontro com Paulo Guedes.

“Essa deve ser uma luta de todos nós e uma bandeira única, a bandeira da defesa do municipalismo. Ela não tem cor partidária, ela tem aquilo que todos nós sempre pensamos que é defender os municípios, que é onde vive a população e é lá que os serviços essenciais são prestados. O ministro Paulo Guedes foi muito atencioso e vamos buscar uma solução para essa questão que é fundamental para o funcionamento normal dos municípios”, disse o senador ao deixar a reunião.

Participaram da reunião ainda o deputado federal Otto Alencar Filho (PSD-BA), o secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, o chefe da Assessoria Especial de Relações Institucionais do Governo, Esteves Colnago, o assessor especial do Ministério da Economia, César Augusto Guimarães, e consultor técnico em previdência da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Mário Rattes, que representou o presidente da entidade, Paulo Ziulkoski.

ze_coca_paulo_guedes_upb.jpg

 

upb_inss_ministerio_conomia.jpg

 

 Atenciosamente,

 
Wilde Barreto
Jornalista SRTE/BA 3997

O presidente da Amurc e prefeito de Itajuípe, Marcone Amaral destacou o início da reforma da sede da Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste Baiano, na tarde desta segunda-feira, 24. "O objetivo é trazer conforto e melhor atendimento aos prefeitos e prefeitas associadas à entidade municipalista", reforçou o gestor.

A instituição foi criada em 21 de novembro de 1984, com o objetivo inicial de representar os municípios produtores de cacau da região Sul da Bahia, visando defender seus interesses diante do Estado e da União. Localizada no centro de Itabuna, a sede da Associação é um espaço dedicado à resolução de demandas dos gestores municipais e sua equipe de governo.

prefeto.jpg

AMURC
Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste da Bahia

(73) 3613-5114
Rua Almirante Tamandaré, 405 - Duque de Caxias
Itabuna - BA, 45600-741 

© Copyright 2018 AMURC  | Todos os direitos reservados

Desenvolvido por: logo oxente n